Inovação: coragem e competência

Muitas empresas querem fazer muito sucesso, porém, acham que atingirão esse objetivo fazendo somente o que todos os outros podem fazer. Ora, fazendo o que os outros fazem uma empresa pode, no máximo, ser igual às demais. Para fazer sucesso maior é necessário fazer mais, é preciso surpreender.

Muitas empresas enfrentam resultado abaixo do desejado e um número ainda maior apresenta resultados negativos, persistentemente, sem que os gestores consigam identificar os motivos para esses resultados indesejados. Isso faz parecer que a gestão empresarial é uma exercício de absurda complexidade e que somente alguns iluminados podem leva-la a cabo com sucesso.

Não é essa a verdade! O que ocorre é que dirigir uma empresa implica em saber o caminho que se deseja trilhar, planejar essa jornada da mesma forma como se planeja uma viagem de férias, definir com clareza todas as etapas da viagem e garantir, através de um acompanhamento muito próximo e seguro, que todas as etapas sejam cumpridas ou, se elas se tornarem inviáveis, selecionar alternativas imediatas para que o objetivo final não seja prejudicado.

Se olharmos para uma empresa com problemas, via de regra, vamos encontrar uma empresa sem planejamento, ou seja, uma empresa que não tem clareza em relação a seus objetivos e, se não tem clareza de objetivos, obviamente, não poderá ter suas atividades empresariais voltadas para esses objetivos, na medida em que eles não existem. Ora, se a empresa não organiza suas atividades de forma a buscar seus objetivos, sejam eles quais forem, ela poderá trabalhar muito, ter pessoas dedicadíssimas, porém, é muito provável que nada disso seja suficiente para que apareçam os resultados, sobretudo econômicos ou financeiros, positivos.

Mas também podemos encontrar empresas que souberam identificar claramente seus objetivos e que estabeleceram corretamente todas as atividades empresariais necessárias para chegar a esses objetivos, porém, ainda assim, não conseguem o sucesso em suas empreitadas. Nesses casos o que encontramos são empresas que fizeram um planejamento completo, no entanto, esqueceram o mais importante, que é a gestão diária da estratégia, ou seja, a verificação diária ou acompanhamento diário do que está sendo executado, para verificar a aderência ao planejamento quanto à tarefa, prazo e qualidade.

Normalmente é neste ponto que as empresas mais pecam! Muitas são as empresas capacitadas para criar estratégias maravilhosas e de sucesso garantido, porém, se essas estratégias não forem gerenciadas, ou seja, se o gestor não garantir que as etapas previstas sejam executadas, da maneira como foram previstas e no prazo necessário, com certeza, os resultados, por mais simples que sejam, por mais óbvios e seguros que pareçam, não serão alcançados. Por isso, mais importante do que saber planejar é saber gerenciar a estratégia planejada e assegurar a sua execução de acordo como foi o planejamento.

No entanto, não posso negar que existem empresas que fazem o planejamento da forma correta e gerenciam a estratégia também da maneira correta, entretanto, mesmo assim, ficam distantes do sucesso que perseguem e isso é mesmo muito decepcionante. sobretudo. porque uma boa parte dos executivos imagina que o planejamento deve ser a segurança para a obtenção dos resultados almejados.

Acontece que vivemos em um mercado cada vez mais competitivo e jamais podemos esquecer que no mercado as empresas competem pela preferência e pela fidelização dos seus clientes, por mais desagradável que seja, para alguns, a constatação desse fato. Precisamos ter a consciência de que o cliente vai comprar daquele fornecedor que lhe oferecer o produto, o atendimento, o preço e o prazo mais ajustado aos seus desejos, ou sonhos, ou necessidades. O cliente vai comprar o produto ou serviço que melhor atende às suas aspirações, segundo a sua percepção.

Então, mais do que planejar suas atividades, a empresa precisa conhecer profundamente as aspirações de seus clientes potenciais e desenvolver ações capazes de fazer com que esses clientes a percebam como a melhor fornecedora do produto ou serviço que buscam. Isso significa oferecer um serviço de excelência, um serviço focado intensamente no objetivo de criar percepções positivas nos clientes e, depois, em assegurar que essas percepções e aspirações se concretizem completamente e que jamais se transformem em frustrações.

Para realizar as expectativas dos clientes é preciso não frustrar as suas aspirações, ou seja, tornar reais todas as percepções que a empresa permitiu que o cliente tivesse. Isso implica em produzir qualidade indiscutível e, principalmente, fazer mais do que os outros fazem. Por isso que costumo dizer que a inovação é um dos grandes segredos do sucesso empresarial.

Produzir o novo, produzir o melhor, produzir o único, produzir o inusitado. Esse é o segredo e, isso sim, não é para todos, porque fazer aquilo que os outros não fazem implica em ter a coragem para ousar e enfrentar o risco de fazer algo não experimentado pelos demais. Para fazer isso com segurança, se exige uma outra característica importante que é competência para avaliar o novo de maneira a assegurar a qualidade do que está sendo colocado no mercado, antes que outros o façam.

Eu diria, então, que o planejamento é um dos fatores de competitividade, porém, ele somente será decisivo se vier acompanhado de uma segura gestão da estratégia e sobretudo se essa for uma gestão inovadora, que somente pode ser feita com coragem e competência, duas qualidades que, admito, não são tão comuns como seria desejável, mas que nós, da América Latina Consult, acreditamos piamente que podemos implantar em qualquer empresa, transformando a cultura interna, e criando uma empresa de sucesso.

É claro que isso tudo será possível se o gestor tiver a coragem de buscar essa transformação!

Data de Publicação: 16/01/2013